Início Opinião Nuno Pires Simplesmente Mariza

Simplesmente Mariza

COMPARTILHE
   Publicidade   
   Publicidade   
   Publicidade   

O nome maior do fado nacional passou por Elvas no âmbito da sua tournée mundial “Mundo 360º”.

Ainda assim, pareceu não ser motivo suficiente para que elvenses e pacenses se mobilizassem em massa e enchessem o coliseu local, como acontecera noutras ocasiões. A fadista lamentou-o.

Queixamo-nos tanto sobre a falta de dinâmica daquele espaço, com tanto potencial, que o facto me mereceu, no mínimo, uma análise.

Razões encontro algumas, não sei se o justificam.

Todos concordaremos que o coliseu de Elvas deveria ser um dos palcos nacionais da descentralização da cultura, condições tem-nas, falta-nos a massa crítica. Este sábado isso ficou provado.

Num concerto com características muito próprias, Mariza apresentou-se com um palco circular, disposto a meio da arena o que, contrariamente ao habitual, permitiu que a totalidade da bancada pudesse ser ocupada, acrescendo algumas centenas aos habituais assentos disponíveis. O efeito visual não podia ser melhor. Equidistante de todo o público, Mariza ocupou o centro, rodeada pelos seus músicos, proporcionando bonitos efeitos de luz e cor.

Nuno Franco Pires
Nuno Franco Pires, escritor

Além disso, não sendo um concerto da responsabilidade do município, que se limitou a ceder o espaço, o preço dos bilhetes assustava os mais temerosos. Estou certo que por um valor ligeiramente mais baixo ter-se-ia facturado mais e a moldura humana seria superior. Às vezes quem tudo quer, tudo perde.

Para finalizar, não nos esqueçamos que esta foi a quinta ou sexta presença de Mariza em Elvas o que terá, também, afugentado alguns que já a viram em ocasiões anteriores. Eu fui repetente. Não a temos por cá todos os dias.

Ainda assim, e apesar de se apresentar num registo ligeiramente diferente do fado a que nos habituou, Mariza não deixou os créditos por mãos alheias. Demonstrou, uma vez mais, a grande artista que é e arrastou consigo o público, criando a habitual cumplicidade.

Conversou, riu e fez rir, emocionou-se, foi próxima, soube cativar. Desceu, interagiu com a assistência, acarinhou e foi acarinhada.

A acompanhá-la o filho, que subiu ao palco para ouvir a mãe cantar a música que lhe é dedicada, e os pais da cantora, além de outros amigos que quiseram acompanhá-la.

Na plateia do coliseu juntaram-se fãs de várias nacionalidades mas era notório o volume de vizinhos espanhóis que não se furtaram a aplaudir a nossa fadista como se de sua se tratasse.

“Gente da nossa terra”, como disse a cantora, referindo-se a todos, qualquer que seja a sua nacionalidade, a quem toca o fado que Amália escreveu e não chegou a interpretar. Cedeu-lho. Deu-lhe a glória.

Mariza saiu de Elvas em apoteose, com papelinhos, balões e o público, de pé, a aplaudi-la e a cantar com ela.

A humildade distingue os grandes e o resto, são cantigas.

Palavras leva-as o vento.

   Publicidade   
   Publicidade   
   Publicidade   
   Publicidade   
   Publicidade   
Artigo anteriorMariza trouxe “Mundo 360º” ao Coliseu de Elvas
Próximo artigoO céu de Junho de 2017
Nuno Pires
Nuno Franco Pires, nasceu em Elvas em 1975 e é um alentejano orgulhoso das suas raízes. Gosta de escrever – sempre gostou. Começou por pequenas histórias, onde os amigos de infância eram os protagonistas, passando pelo blog Dualidades (asdualidades.blogspot.com) do qual foi coautor e onde abordava temas que marcavam a actualidade. Cativam-no as relações humanas e a interacção entre as pessoas; é sobre elas que escreve. Tem participado e vários concursos literários tendo ganho uma menção honrosa no prémio Glória Marreiros, organizado pela Câmara Municipal de Portimão, com a novela "Amor entre muralhas" escrita em parceria. Participou na colectânea "Ei-los que partem" da editora Papel d' Arroz e com a chancela da Chiado Editora editou o seu primeiro romance, "Searas ao vento". Colaborou com a TV Guadiana, publicando semanalmente, pequenas histórias da sua autoria e incorpora o painel de tertulianos da rúbrica "Conversas de Barbearia" do blog Três Paixões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here